Um dos exemplos é o uso da fonte fotovoltaica na Nossa Senhora da Conceição, às margens do Rio Jamaci, a 21 km de Belém (PA).

A busca pela implementação de uma energia mais limpa, sustentável e principalmente mais viável economicamente tem levado a iniciativas recorrentes na região amazônica. Uma delas é a oferta de um “Kit Bakana Solar” para a comunidade ribeirinha. Nossa Senhora da Conceição, às margens do Rio Jamaci, na Ilha de Paquetá, a 21 km de Belém, com cerca de 20 famílias, que sobrevivem basicamente do extrativismo do açaí. O local conta o sistema desde 2018.

Em drande parte dos lares ribeirinhos, a energia usada para iluminar as casas, assistir à televisão, bater o açaí, ligar o ventilador, conservar alimentos, vem do motor movido a óleo diesel, oriundo de uma fonte não renovável, poluente e cara. Diante deste cenário, o Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas e da Auto Sustentabilidade (IDEAAS), em parceira com o Instituto Peabiru, criou o projeto piloto “Luz para uma Vida Melhor”. O programa tem apoio da Fundação C.S. Mott e se dedica a atender a grupos sociais de baixa renda e que vivem em alto grau de exclusão energética.

A parceria envolve, ainda, o Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Alternativas Energéticas (Gedae), da Universidade Federal do Pará, o Movimento das Mulheres das Ilhas de Belém (MMIB) e a Paróquia São Francisco das Ilhas.

Via Bene Energy | Energia solar de verdade

texto por: portal solar

Leave a Reply

Fale no WhatsApp ao vivo
Enviar mensagem